Você está aqui: Página Inicial Sala de Imprensa Últimas Notícias 2012 09 19/09 - Fórum Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Campo e da Floresta traça redefinição de papel
Ações do documento

19/09 - Fórum Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Campo e da Floresta traça redefinição de papel

Data: 19/09/2012

19/09 - Fórum Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Campo e da Floresta traça redefinição de papel

Lideranças debatem novas estratégias de atuação com a SPM Foto: Juliana Camelo/SPM

Integrantes também discutiram implementação de fóruns estaduais

No primeiro dia de reunião do Fórum Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher do Campo e da Floresta, a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) e as lideranças dos movimentos sociais começaram a traçar a reformulação da instância. O encontro começou nessa terça-feira (18/09), em Brasília, e teve como encaminhamentos iniciais a realização de encontros presenciais mais frequentes e interação por meio da internet.
 
Aberta pela secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves, a reunião tem a presença de representantes das seguintes organizações: Movimento de Mulheres Quebradeiras de Coco, Movimento de Mulheres Camponesas, Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura, Movimento Articulado de Mulheres da Amazônia e Marcha Mundial das Mulheres. O encontro é acompanhado por Raimundinha Mascena, assessora especial da SPM, que tem se dedicado ao diálogo com as trabalhadoras rurais.
 
Organizando os debates, a coordenadora-geral de Fortalecimento da Rede de Atendimento, da SPM, Gláucia Helena de Souza, falou da necessidade de estados e municípios assumirem, com políticas e planejamento, o enfrentamento à violência contra as mulheres do campo e da floresta, reservando parte do orçamento para isso. Entre as sugestões apontadas na reunião, está a implantação de fóruns estaduais de enfrentamento à violência contra as mulheres do campo e da floresta.
 
“Para isso, é fundamental a articulação com organismos políticos para mulheres nos estados para criação desses fóruns estaduais, onde estariam presentes as instituições relevantes da área de enfrentamento à violência. Nós traçamos as diretrizes nacionais, mas as ações acontecem nos estados”, apontou Gláucia de Souza.
 
Intensificação do debate – Todas as integrantes presentes mostraram interesse na criação de um espaço virtual de discussão, para que o contato entre elas não fique restrito aos encontros presenciais – que também devem aumentar de frequência. A decisão final sobre isso será conhecida nesta quarta-feira (19/09), último dia de reunião do Fórum.
 
Segundo Gláucia, é fundamental melhorar o repasse de informações entre as integrantes do Fórum. “É importante para termos algo mais sustentável para avaliação nas nossas reuniões”, acrescentou a coordenadiora-geral da Rede de Atendimento, da SPM.
 
Para Sandra Regina Monteiro, representante do Movimento de Mulheres Quebradeiras de Côco (MIQCB), o Fórum também deveria acompanhar as ações do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM).
 
 
 
Comunicação Social 

Secretaria de Políticas para as Mulheres – SPM
Presidência da República – PR
 

Participe das redes sociais: Ícone_face/spmulheres e Ícone_twitter@spmulheres